CAE Angola | Empresários capacitados em Luanda
16604
single,single-post,postid-16604,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,side_area_uncovered_from_content,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-7.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.5.3,vc_responsive

Empresários capacitados em Luanda

06 Abr 2017 Empresários capacitados em Luanda

Foto para noticia 1

“O Sistema de Direitos Humanos” “Princípios orientadores ONU” “Ambiente”, “Segurança no local de trabalho” foram alguns dos temas abordados na formação de Empresa e Direitos Humanos, realizada de 1 de Fevereiro a 29 de Março.

A formação enquadrada no programa de cooperação entre o CAE – Centro de Apoio Empresarial e a ILPI (International Low and Policy Institute) instituição Norueguesa, financiada pela STATOIL ANGOLA, teve como objectivo capacitar e elucidar as empresas angolanas fornecedoras de bens e serviços ao sector petrolífero sendo estas registadas e certificadas pelo CAE, sobre a importância dos Direitos Humanos no seio das empresas.

O encontro visou ainda proporcionar um entendimento básico do porquê que os Direitos Humanos são importantes para as empresas e qual a conexão entre os dois termos “Direito e Responsabilidades”

Orientados pela técnica empresarial do CAE, Ana dos Santos, na formação que teve lugar nas instalações da ENAD, foram ministradas matérias sobre o Sistema de Direitos Humanos, Empresa e Direitos Humanos, Princípios Orientadores da ONU, Género, Ambiente, Segurança no local de trabalho e Trabalho infantil.

Durante os dois meses de formação repartida em 8 sessões, participaram mais de 50 empresários vindo de várias áreas de actuação no sector petrolífero nomeadamente; Serviços Marítimos, Segurança Privada, Consultoria, IT/Telecomunicações, Transportes, Limpeza/Paisagem, Comércio Geral, Recrutamento, Hotelaria e Turismo, Gestão de Resíduos, Equipamentos e Protecção Individual, Mobiliário e Decoração, Construção civil, Metalomecânica, Gestão de projectos, Engenharia e Catering.

Com estas acções, o CAE pretende difundir a cultura dos direitos humanos nas empresas e sensibilizar os empresários para a sua importância